terça-feira, 29 de outubro de 2013

Os dez conselhos de Dipa Ma


Foto: Laila Menezes



Dipa Ma (1911-1989) foi uma mulher notável da região de Bengala. Segundo o Wikipedia: “Desde criança mostrou grande interesse pelo Buddhismo e preferia estudar do que brincar.

Diferente de outras garotas da região, ela insistia em ir para a escola, mas com doze ano se casou e foi viver com seu marido em Yangon. Após a morte de seu marido, em 1957, ela passou a praticar vipassana, realizando um notável progresso. Em 1963 ela começou a estudar os siddhis, poderes espirituais. Em 1967, ela se mudou para Calcutá onde ensinou meditação para muitos alunos. Joseph Goldstein, Jack Kornfield e Sharon Salzberg (“Dipa Ma foi a pessoa mais amorosa que já conheci” – Sharon Salzberg), que mais tarde se tornaram proeminentes professores nos EUA, foram apresentados a Dipa Ma em 1970. No começo dos anos 80 ela ensinou no Insight Meditation Society in Barre, Massachusetts”.

Tendo sido aluna de Mahasi Sayadaw, na Birmânia, Dipa Ma foi reconhecida amplamente por sua realização espiritual e poderes supranormais. Ainda assim tinha uma humildade impressionante. Era impossível não se sentir tocado por sua presença, onde metta simplesmente transbordava. Tive a grande fortuna de conhecê-la quando passei algumas semanas em Calcutá, em minha primeira viagem à Índia. Eu não sabia que ela morava em Calcutá, e quando Anagarika Munindra-ji me contou e, ainda mais, disse que eu poderia visitá-la, fiquei sem palavras. Passei uma tarde em sua casa, junto com sua filha, tomando chá e conversando sobre o Dhamma. Ganhei uma maçã de suas mãos, um dos melhores presentes que já recebi.
Aqui traduzo 10 conselhos de Dipa Ma. Impossível se perder se você segui-los:

1.      Escolha uma prática de meditação e se mantenha com ela. Se você quer progresso na meditação fique com uma técnica.
2.      Medite todos os dias. Pratique agora. Não pense que poderá fazer mais depois.
3.      Qualquer situação é trabalhável. Cada um de nós tem enorme poder. Isso pode ser utilizado para ajudar a nós mesmos e os outros.
4.      Pratique a paciência. Paciência é uma das mais importantes virtudes para o desenvolvimento da vigilância e da concentração.
5.      Liberte sua mente. Sua mente é todas as estórias.
6.      Refresque o fogo das emoções. A raiva é um fogo.
7.      Divirta-se no caminho. Sou muito feliz. Se você vier meditar você também será feliz.
8.      Simplifique. Viva de forma simples. Uma vida muito simples é boa para tudo. Muito luxo é um obstáculo para a prática.
9.      Cultive o espírito da bênção. Se você abençoar aqueles à sua volta isso o inspirará a ser zeloso a cada instante.

10.  Esta é uma jornada circular. A meditação integra a pessoa inteiramente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Combatendo a resistência

Um profissional Certa vez, alguém perguntou a Somerset Maugham se ele  escrevia segundo um horário ou somente quando lhe vinha a  ins...