sábado, 20 de dezembro de 2014

Agradecimento

Pantanal/MT - foto: Araquém Alcântara

Agradecemos a todos que visitam 
diariamente nosso blog.

Agradecemos!

Que as postagens, mensagens dos mestres, mestras, as fotos, vídeos, tenham chegado diretamente ao coração e mente de cada um!

Que possamos despertar a cada ação, conscientes da grandeza da vida.

Sigamos suavemente!

Gassho

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Atenção plena



Povo Kayapó/PA - foto Alice Kohler


Um dos temas principais do meu professor, durante toda a sua carreira, era a prática dedicada. Ouvi-o falar sobre isso muitas e muitas vezes. Levou tempo para eu compreender que ele estava falando sobre este momento presente - não apenas zazen (meditação sentada), mas a prática que é nossa vida inteira. Em outras palavras, precisamos viver nossas vidas com dedicação, com nossos olhos abertos. Ou, como disse Thoreau, precisamos viver nossa vida deliberadamente.

Katagiri Roshi costumava dizer que o Zen não era nem zero nem cem por cento. Em outras palavras, seja o que for que fizer, faça-o com dedicação ou simplesmente não o faça. Não entre em nenhuma atividade com uma mente pela metade. O que quer que faça precisa ser totalmente expresso dentro de você e na sua vida, ou não feito de forma alguma.

(O Budismo não é o que você pensa - Steve Hagen)

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Dezembro

Foto: Ricardo Takamura


É preciso usar a energia deste mês para cuidar e exigir cuidado, com ternura. Só assim as festas serão, de fato, boas.


Há um clima de festa e de animação.

Há um clima de fim de ano.

Há um clima de estresse e confusão.

O último mês do ano parece mexer com todos nós. Muita gente nas ruas, trânsito pesado, compras, 13º salário, helicópteros sobrevoam as grandes cidades.

Há nevascas no Hemisfério Norte, há enxurradas, enchentes e secas no Hemisfério Sul.

Parece que toda a Terra estremece.

Entretanto, isso acontece apenas na camada mais superficial. Estaria a pele separada da carne, dos ossos e da medula? Intersendo.

Esta camada onde nós, seres humanos, habitamos é a Terra. A Terra imensa, profunda, intensa, viva, respondendo a tudo que nela se passa, inclusive esta camada resfriada onde compartilhamos a vida com outras formas de vida.

Será possível viver sem água, sem sal?

Viver sem vegetais, minerais, animais?

Viver sem ar, sem solo fértil, sem insetos polinizadores?

Somos a vida da Terra.

Cada um, cada uma de nós é não apenas a vida da Terra, mas a vida do cosmos. Se não houver harmonia cósmica, não existimos.

A isso Buda chamava Natureza-Buda.

Natureza Buda é Natureza Iluminada, onde tudo está incluído e nada falta. Nada falta. É assim como é. E está em movimento constante como cada um, cada uma de nós, cada próton, elétron, nêutron. Dança incessante.

O que fazemos, falamos, pensamos é resultado de nossa genética (nossas heranças cromossômicas — seria isso o que os antigos chamavam de vidas anteriores?) e das experiências que passamos durante todo o processo de nossa formação como seres humanos. Desde a maneira como fomos concebidos/as, como estivemos (amados/as ou não) no útero materno, quais as experiências da infância e assim por diante.

Dizem os neurocientistas que 95% da maneira como respondemos à realidade são pré-determinados. Mas há 5% maravilhosamente surpreendentes e indeterminados. Cinco por cento de livre escolha, de surpreendentes respostas (e não reações).

Podemos facilitar mudanças extraordinárias com esses cinco por cento.

Podemos escolher o nobre silêncio à falação insensata. Podemos escolher o contentamento invés do resmungo, da reclamação constante. Podemos meditar e orar invés de nos armarmos e guerrearmos.

Fim de ano é época de reflexão.

Como podemos nos tornar instrumentos de construção de uma Cultura de Paz? Como podemos nos tornar um átomo de paz na Terra?

Observe seus pensamentos, seus pontos de vista, sua interpretação dos acontecimentos nacionais e internacionais. Você é capaz de perceber as intenções até mesmo na escolha das matérias que a mídia (nacional e internacional) seleciona para a humanidade?

Você é capaz de cultivar sentimentos de ternura e respeito a todas as formas de vida, a todas as opções espirituais, a todas as formas de fé e de ateísmo?

Estamos todos e todas interligados, e nossos pensamentos geram pensamentos — individuais e coletivos. Vamos usar a energia deste mês de dezembro para rever valores e atores. Cuidar e exigir cuidado, com ternura, com afeto, com brandura.

A transformação é incessante. Podemos apenas direcioná-la. Que tal direcionar para o bem de todos os seres?

Só assim as festas poderão ser boas.


(Monja Coen Roshi - Jornal O Globo)






quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Armadilhas do ego

Índios Assurini/PA - foto: Alice Kohler

"Se você acha que é mais “espiritual” andar de bicicleta ou usar transporte público para se locomover, tudo bem, mas se você julgar qualquer outra pessoa que dirige um carro, então você está preso em uma armadilha do ego. Se você acha que é mais “espiritual” não ver televisão porque mexe com o seu cérebro, tudo bem, mas se julgar aqueles que ainda assistem, então você está preso em uma armadilha do ego. Se você acha que é mais “espiritual” evitar saber de fofocas ou noticias da mídia , mas se encontra julgando aqueles que leem essas coisas, então você está preso em uma armadilha do ego. Se você acha que é mais “espiritual” fazer Yoga, se tornar vegano, comprar só comidas orgânicas, comprar cristais, praticar reiki, meditar, usar roupas “hippies”, visitar templos e ler livros sobre iluminação espiritual, mas julgar qualquer pessoa que não faça isso, então você está preso em uma armadilha do ego. Sempre esteja consciente ao se sentir superior. A noção de que você é superior é a maior indicação de que você está em uma armadilha egóica. O ego adora entrar pela porta de trás. Ele vai pegar uma ideia nobre, como começar yoga e, então, distorce-la para servir o seu objetivo ao fazer você se sentir superior aos outros; você começará a menosprezar aqueles que não estão seguindo o seu “caminho espiritual certo”. Superioridade, julgamento e condenação. Essas são armadilhas do ego." ✦# Mooji