segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Prostração



Foto: Lou Gaioto


Qual é o significado da nossa prática de prostrações? Desde eras primevas, muitos cultos pré-religiosos vieram à luz. Rituais mágicos, fetichismo, xamanismo, como qualquer religião, todos têm a sua maneira própria de cultuar. É natural.

No início do budismo havia apenas a divulgação dos ensinamentos do Buda, sem uso de qualquer símbolo. Depois da morte do Buda estudiosos dos Sutras quiseram criar símbolos visíveis, e começaram esculpir estátuas, inspirando com isso até mesmo a arte helênica. Um estátua de Buda é um símbolo do que aspiramos por nos tornar no âmbito da compreensão do ideal budista. Eu sempre ensino que a mensagem do budismo é simplíssima, pois diz apenas que cada um de nós já é um Buda. Cada um traz dentro de si a condição desperta de um Buda, no entanto nossa mente está momentaneamente distraída com os fenômenos, como se nossos olhos estivessem obstruídos, cobertos pelo espesso véu das ilusões. Através da prática, o véu pode ser dissipado, revelando-se, então, a nossa verdadeira e original condição iluminada.

Mestre Dogen diz: "Buda é o seu próprio eu verdadeiro". Isso quer dizer que, quando nos prostramos ante uma estátua de Buda, nós reverenciamos a nossa própria condição iluminada, aquela que já possuímos. Por enquanto, ela está apenas "gestando", mas estará pronta para nascer através de nossa prática.

(Primeiros passos no Zen - Mestre Zen Moriyama Roshi)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Nobre

flores do cerrado - google Aquele que é inofensivo, que não fere nem causa ou incentiva a morte de qualquer ser, fraco ou forte, ...